Cadastro Único – Como inscrever para receber o Auxílio Brasil

Publicidade

Se inscrever no Cadastro Único é essencial para as famílias que desejam fazer parte dos programas sociais criados pelo Governo. Além disso, manter o cadastro atualizado é uma das recomendações, para que o sistema saiba quem realmente deve ser beneficiado. Entre os programas sociais que necessitam que a população se inscrevam no Cadastro Único, está o Auxílio Brasil, também o mais procurado.

Além disso, com o aumento de R$400,00 para R$600,00, muitas pessoas tentaram se inscrever para participar do programa Auxílio Brasil, o que levou a muitas dúvidas sobre como fazer. Desse modo, para ser beneficiado do Auxílio Brasil, é necessário realizar uma inscrição no Cadastro Único. Além da inscrição, as pessoas também devem aguardar em uma fila de espera para a análise do Governo.

Publicidade

Na análise, o Governo irá identificar se a família possui todos os pré requisitos para fazer parte do programa e ser contemplado com os recursos mensais ou não. Ademais, mesmo que a família não consiga fazer parte do Auxílio Brasil, os dados ficam registrados no Cadastro Único. Desse modo, pode ter chance de ser contemplado com algum benefício dos outros diversos programas, como o Tarifa Social.

Cadastro Único (Reprodução: divulgação)

Sendo assim, nesse post vamos dar todas as dicas e informações para quem deseja realizar inscrição no Cadastro Único e fazer parte dos programas sociais criados pelo Governo, como Vale Gás, Tarifa Social, Auxílio Creche e Auxílio Brasil, por exemplo. Além disso, o Cadastro Único é usado como base de informações para os benefícios.

Como se inscrever no Cadastro Único?

A inscrição no Cadastro Único é essencial para quem deseja participar de programas sociais e receber os benefícios. Desse modo, o primeiro passo é realizar uma pré inscrição por meio do aplicativo do CadÚnico. Portanto, realize o download do aplicativo acessando a Play Store ou a App Store. Após, cadastre-se.

Desse modo, no aplicativo agende o dia para o atendimento presencial no Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) ou em outros pontos de atendimento para essa finalidade, como postos para atendimento do Cadastro Único e do antigo programa Bolsa Família. Portanto, agende o dia e o horário no ponto de atendimento mais próximo da sua residência.

No dia do atendimento presencial, você ou outro residente de sua casa que será o representante da família, deverá levar alguns documentos essenciais para efetuar o cadastro sem pendências. Portanto, não esqueça de separar a Certidão de Nascimento, o CPF, a Certidão de Casamento, a Carteira de Trabalho, o Registro Administrativo de Nascimento Indígena (RANI) – somente se a pessoa for indígena, a Carteira de Identidade – RG e o Título de Eleitor.

Quem pode se inscrever?

Uma das principais dúvidas quando o assunto é Cadastro Único é quem pode se inscrever. Desse modo, separamos uma lista com os aspectos limitantes para quem deseja saber se entra ou não no grupo das pessoas que podem participar do cadastro. Portanto, veja a seguir os pré requisitos necessários para se inscrever no Cadastro Único:

Publicidade
  • Famílias que possuem per capita renda mensal de até meio salário mínimo, R$606,00;
  • estão aptas a realizar o cadastro as famílias que possuem renda mensal somada de todos os membros de até 3 salários mínimos;
  • famílias que possuem renda mensal de mais de 3 salários mínimos, mas que estejam cadastrados em algum dos programas sociais do Governo;
  • pessoas que moram sozinhas e fazem parte de famílias unipessoais;
  • pessoas que vivem nas ruas.

Desse modo, todas as pessoas que se enquadram em um desses itens podem realizar o pré cadastro no aplicativo do Cadastro Único e marcarem uma visita presencial nos postos de atendimento do Governo para essa finalidade. Além disso, é um direito de todos os que se enquadram a buscarem por participar dos programas sociais do Governo.

Como é a entrevista no CadÚnico

Após agendar o dia do Atendimento Presencial, basta aguardar e ir ao posto de atendimento na data e horário corretos. Desse modo, no dia do atendimento presencial o representante da família passará por uma entrevista com um assistente social e deverá responder algumas perguntas. Nesse momento, basta ser sincero. Além disso, são perguntas sobre a família.

Entre os questionamentos que o representante da família deverá responder, estão perguntas sobre quantas pessoas fazem parte do núcleo familiar, quem são elas, como é a casa em que residem e se entre os membros há algum que possui deficiência. Além disso, o representante também deverá dar informações sobre a renda familiar mensal e o grau de escolaridade dos familiares.

Ademais, é necessário apenas que o representante familiar vá ao CRAS para efetuar o cadastro da família. Desse modo, essa pessoa deve ter acima de 16 anos, e deverá levar o CPF ou o título de eleitor para iniciar o processo de cadastro da família. Desse modo, a família estará mais perto de conseguir fazer parte de algum dos programas do governo.

Publicidade